Category Archives: 1966

Encontro no Outono

1966_IlseLosa_encontronooutonoEncontro no Outono : contos / Ilse Losa. Lisboa : Portugália, 1964. (ver registo bibliográfico e capa)
Encontro no Outono : contos / Ilse Losa. 2a ed. Lisboa : Portugália, 1966.

Capa de João da Câmara Leme

Contem: Encontro no Outono; O Poema; Retta ou os ciúmes da Morte; Ambrósia; A Tília.  (tendo o terceiro e último contos  publicações próprias em 1958 e 1981 respetivamente)

«Nas palavras de João Gaspar Simões: “Com este Encontro no Outono conquista Ilse Losa um lugar invejável na galeria dos nossos contistas contemporâneos. E vale a pena frisar que se o conto dos nossos dias releva de um filão pouco explorado pela novelística tradicional — os segredos do coração humano e, antes de mais nada, o segredo da sua solidão — a parte que cabe a Ilse Losa nessa tarefa ainda um dia há-se vir a ser posta em relevo.”» fonte

Anúncios

Um artista chamado Duque

1966_IlseLosa_umartistachamadoduque

Ilustrações de Alexandra Losa ; capa Sebastião Rodrigues
Publicação: EdiçãoLisboa : Livr. Sampedro, [1966]
Ver imagem do página de rosto aqui

Fonte da imagem da capa: Livraria Simões  onde se lê a seguinte descrição: «Autora: Ilse Losa; coleção: Nosso Mundo /Histórias – n.º 14, com orientação de Madalena Ferin, Maria Natália Duarte Silva e Sophia de Mello Breyner Andresen; edição: Livraria Sampedro Editora; Lisboa – 19–(?); 126 páginas; 11 x 16 cm; brochado.»

Do blogue donde recolhi as imagens da colagem (ver em baixo) transcrevo «Há dias, descobri num alfarrabista do Porto (na travessa de Cedofeita) um livrinho de Ilse Losa, intitulado Um artista chamado Duque.
Este título tem edições bastante mais recentes e coloridas, mas nesta edição vem acompanhado de outros dois contos: “Faísca conta a sua história”, que tem como narrador um cão, e “Mosquito e o sr. Pechincha”, uma interessante história de amizade, confiança, dúvidas sentimentais e profundo humanismo.
No conto que dá título ao livro, a história dum ponei é narrada através de diálogos entre a narradora e duas pessoas que viveram com o Duque. (…)»

alexandralosacolagens