Category Archives: 1976

Flores para Ilse Losa

na data do seu falecimento  (Porto, 6 de janeiro de 2006)

Curta montagem com imagens de flores recolhidas de ilustrações dos seus livros por:

Anúncios

Beatriz e o plátano

Para acompanhar a leitura do livro... com fotos de (verdadeiros) plátanos monumentais. *

A flor azul

A flor azul / escreveu Ilse Losa ; il. Lisa Couwenbergh.  4a ed. Porto : Asa, 1976.
Esta pequena antologia de contos encontra-se, na sua última edição,  atualmente esgotada (!!!). É todavia uma das mais interessantes e acessíveis obras de Ilse Losa para o público infantil. 

 As edições anteriores, essas mereciam edições facsimiladas!

1976_aflorazul

Sinopse da editora: «Um livro que reúne seis histórias que encontram na apologia da amizade o seu elo de conexão. Através de belas metáforas, os pequenos leitores podem descobrir como a diferença não é um obstáculo à amizade ou como é importante saberem superar os ciúmes e partilharem os seus amigos. Flores e animais que falam, um burro com barbas que ajuda um Liliputiano a fazer um número de circo ou uma ponte que atira para a água os mentirosos são alguns dos artifícios encontrados pela autora para transmitir às crianças de uma forma divertida valores tão sérios e importantes como a honestidade e a solidariedade.»

O quadro roubado

O Quadro roubado / Ilse Losa ; il. Jorge Pinheiro. – Porto : Figueirinhas, 1976.
Contem: O Quadro Roubado;  Dois companheiros;  Pepe, o periquito;  A visita  ao Padrinho. 

Os três últimos contos foram reeditados no livro A visita ao Padrinho, publicado em 1989 pela Afrontamento, com ilustrações de Ângela Melo.

1976_IlseLosa_oquadroroubado_jorgepinheiro

Em baixo uma colagem com as belíssimas ilustrações de Jorge Pinheiro (ver aqui uma das duas ilustrações do conto A visita ao padrinho)

https://ilselosa.wordpress.com/

Beatriz e o plátano

1976_beatrizeoplatano

Beatriz e o plátano / Ilse Losa ; il. Lisa Couwenbergh. Porto : ASA, 1976.

«A história de uma menina – a Beatriz – que todos os dias vê diante da sua janela um enorme plátano, de tronco grosso e copa farta. Para Beatriz, aquela árvore fazia parte da sua vida, tal como um bom amigo. Ora, certo dia, as autoridades decidem deitar o plátano abaixo, a pretexto de árvore tão antiga não se enquadrar na moderna paisagem que elas tinham planeado para a cidade. E é a determinação da Beatriz em defesa do seu “velho amigo” que acaba por dissuadir as ditas autoridades de levarem a cabo o seu plano.» (sinopse da editora)

Entre a primeira edição de 1976 e a última (acho que vai na 13ª edição) , muitas terão sido as crianças (e esperemos que adultos também)  a ficar conquistados pelo espírito de Beatriz. Esta obra de Ilse Losa é considerada pioneira no que concerne a divulgação dos direitos e deveres da cidadania e o respeito  pelo património natural.

beatrizeoplatanoÉ um dos meus livros favoritos de Ilse Losa que apenas descobri na idade adulta e como professora. E todos os anos lemos este livro, ritualmente, acompanhando a chegada da primavera e das folhinhas das árvores. Só lamento que a ilustradora não tenha escolhido desenhar verdadeiramente um plátano com as suas folhas e ritidoma inconfundíveis.

Por isso uso esta apresentação com fotografias de alguns plátanos monumentais (fazendo jus à árvore).
Beatriz e o platano
Em cima uma colagem com as ilustrações de Lisa Couwerbergh que também ilustrou a última edição de A flor azul (1976).

(Texto completo do livro aqui)