Category Archives: 1979

Flores para Ilse Losa

na data do seu falecimento  (Porto, 6 de janeiro de 2006)

Curta montagem com imagens de flores recolhidas de ilustrações dos seus livros por:

Anúncios

A Minha Melhor História

A Minha Melhor História/ Ilse Losa; il. Fernando de Oliveira. – Porto : Editora Nova Crítica,  1979. ( Andanças : 4) >

Nesta 1ª edição são três as histórias: A minha melhor história, Joana e o Mendigo e Apesar de Tudo.

Fonte da imagem: in- libris

 

 

A Minha Melhor História / Ilse Losa; il. Luísa Brandão. – Porto : Edições Asa , 1985 – (Asa Juvenil : 22)  ISBN: 972-41-0235-1
Nota: a imagem reproduz a imagem da capa da “5ª edição” de 1997. O livro foi reimpresso até 2001 encontrando-se atualmente “esgotado ou indisponível”. >

«Sinopse: Compilação de quatro pequenas histórias, a principal das quais – a que dá título ao livro – relata o momento em que a autora, ainda criança, se apercebe, “pela Primeira vez, da alegria que experimentam as pessoas que sabem, através de palavras escritas, comunicar com os outros”. Uma história simples, de cariz autobiográfico, em torno de uma redacção escrita num caderno de escola.
Das restantes histórias – “Ontem, Hoje, Amanhã”, “Joana e o Mendigo” e “Apesar de Tudo” -, destaque para a última, onde a sua origem germânica, aborda o tema da Segunda Guerra Mundial e dos conflitos inerentes à convivência, no pós-guerra, entre os filhos daqueles que serviram sob o regime de Hitler e os daqueles que dele tiveram que fugir. » wikieducaçãoFonte:

Recensão Casa da Leitura- Rui Marques Veloso (com “spoiler”)
«Quatro contos que têm em comum a ideia do tempo que marca a vida de cada um de nós. Nos três primeiros, as crianças que os protagonizam compreendem que a memória é um mundo muito nosso, onde guardamos as recordações do que de bom e de mau nos acontece, mas que podemos partilhar com os que nos são queridos. O último conto, com marcas claras do tempo vivido na Alemanha, dá-nos a história do aniversário de Rolf que convida para a festa um seu amigo, filho do torcionário nazi que assassinara o pai. As crianças não sabem, mas a mãe debate-se com a questão da culpa. Ciente de que aqueles meninos representam um mundo novo, oferece-lhe fatias de bolo de aniversário.

Um artista chamado Duque

Um Artista chamado Duque / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. – Lisboa : Horizonte, 1979. – (Pássaro Livre ; 16)
1979_Ilselosa_artistachamadoduque_manuelabacelar-sm

Faísca conta a sua história

Faísca conta a sua história / Ilse Losa ; il. de Manuela Bacelar. – Lisboa : Livros Horizonte, imp. 1979. – 31, [1] p. : il. ; 23 cm. – (Pássaro livre ; 17)

Ver aqui -fonte da imagem que reproduz a capa da 2ª edição desta obra de Ilse Losa. A 1ª edição, com ilustrações de Augusto Gomes data de 1949. Este conto também integra um livro ilustrado por Alexandra Losa de 1966 e um outro por Júlio Resende de 1973
1979_IlseLosa_faiscacontasuahistoria_manuelabacelar clicar na imagem para ler no scribb

1979_IlseLosa_faiscacontasuahistoria_manuelabacelar

O mosquito e o senhor Pechincha

Mosquito e o sr. pechincha rostoO mosquito e o senhor Pechincha / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. – [Lisboa] : Horizonte, [197-?] (1979). – 37, [2] p. : il. ; 23 cm. – (Pássaro livre ; 19

Nota: título da capa: O Sr. Pechincha

1979_IlseLosa_osenhorpechincha_manuelaBacelar

A Adivinha

A Adivinha : peça em quatro quadros / Ilse Losa ; il. Jorge Pinheiro. – Porto : Figueirinhas, [1967]. – (Contos para Crianças ; 23)
A Adivinha : peça em quatro quadros / Ilse Losa ; il. Jorge Pinheiro. – 2ª edição refundida. – Porto : Figueirinhas, 1979  ( ver no catálogo da BMBeja)
1967_Ilselosa_adivinha_jorgepinheiro1979_Ilselosa_adivinha_jorgepinheiro
….
Recensão Casa da Leitura a propósito da 3ª edição :«Neste texto dramático em quatro quadros perscrutam-se alguns dos traços que distinguem a produção literária de Ilse Losa. Recriação de um «velho conto popular», como se regista antes da “cortina do texto subir”, «esta história passou-se num país qualquer e em qualquer ano (…). As personagens que nela entram podiam existir em toda a parte do mundo e em todos os tempos, passados, presentes e futuros.» A acção situa-se, inicialmente, no mundo rural, sendo protagonizada por uma família de alfaiates com uma vida difícil. A decisão da partida dos irmãos Paulino, Ernestino e Brás do seu meio matricial, em busca da sua sorte na «cidade-das-sete-torres-douradas», bem como a decifração da adivinha, colocada pela caprichosa menina Lu Petrolina, pelo irmão mais novo constituem os momentos fundamentais desta obra. Ficcionam-se temáticas como a união familiar, a importância da imaginação e do humor, o valor da amizade, a vitória do bem sobre o mal, o respeito pelo outro (mesmo quando este “outro” se trata de um animal, como o urso Olaf) e, ainda, o amor à arte, aos livros e à leitura. |Sara Reis da Silva (aqui)

Em baixo colagem com as ilustrações de Jorge Pinheiro (1ª edição)
1967_IlseLosa_aadividinha_jorgepinheiro_colagem