Category Archives: Manuela Bacelar

Flores para Ilse Losa

na data do seu falecimento  (Porto, 6 de janeiro de 2006)

Curta montagem com imagens de flores recolhidas de ilustrações dos seus livros por:

Anúncios

O Príncipe Nabo

2000_IlseLosa_principenabo_manuelaBacelarO Príncipe Nabo / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. – [s.l.] : Afrontamento, 2000. – (Tetras e letras ; 27)

Recensão Casa da Leitura:
«A hesitação entre dois universos, testemunhados quer pela presença de dois grupos distintos de personagens, quer pela referência a dois espaços antitéticos, o dos “pobres” e o dos “ricos”, representa a linha temática orientadora desta peça. Esta é uma obra em que a auto-aprendizagem “daquilo que realmente conta na vida” surge ficcionalizada não raras vezes através dos três tipos de cómico, o de linguagem, o de situação e o de carácter. Aspectos como o recurso a expressões de tonalidade francesa, os nomes dos pretendentes da Princesa Beatriz e as sucessivas situações de pedido e de recusa da sua mão ou, ainda, a presença do Bobo, com cuja actuação encerra a acção, contribuem para a construção humorística que caracteriza a obra. »

  • Outras edições:

O Príncipe Nabo da Nabolândia ; João e Guida / Ilse Losa. – Porto : Livraria Divulgação, 1962  (nota: título da capa : 2 peças infantis)

 Princípe nabo / Ilse Losa ; il. Fernando Relvas. – Lisboa : Plátano, 1978. – (Plátano de Abril ; 10) (Fonte da imagem  aqui )

Um artista chamado Duque

Um Artista chamado Duque / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. – Porto : Asa, 1990. – (Asa Juvenil / coord. Ilse Losa ; 50)

Outras edições deste conto
1990_ilselosa_umartistachamado_bacelarfonte da imagem e da descrição bibliográfica

Silka

1989_Ilselosa_silka_manuelaBacelarSilka / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. – Porto : Afrontamento, 1989. – 42, [3] p. : il. ; 24 cm. – (Tretas e letras ; 22)

«Este livro relata uma lenda nórdica que um dia contaram a Ilse Losa e que ela agora nos conta à sua maneira: bela e triste. Com as ilustrações deste livro ganhou Manuela Bacelar a Maçã de Ouro da Bienal Internacional de Ilustração de Bratislava, bem como o Prémio Gulbenkian de Ilustração.» Ficha wook

Ver aqui descrição bibliográfica de ambas edições (1984 e 1989)

Sugestões:

Histórias inesquecíveis para crianças

1987_IlseLosa_historiasinesqueciveisparacriancas_manuelabacelarDuas datas nos catálogos on line das Bibliotecas: 1974 e 1987 (ver por ex. aqui)

Histórias inesquecíveis para crianças / selec. de Ilse Losa ; il. de Manuela Bacelar ; capa de A. Pedro. Lisboa : Livros do Brasil,

Contém: “As três fiandeiras”/ Irmãos Grimm; “A história do pequeno Muck/Wilhelm Hauff”; “A nuvem cor-de-rosa”/ George Sand; “O rouxinol”/ Hans Christian Andersen; “O rei do rio de ouro”/John Ruskin; “A história de Ivan, o pateta” /Leão Tolstoi; “Uma fábula” /Mark Twain; “Um morteiro fora do comum” /Óscar Wilde; “Casco de prata” /Pawel Bashow; “A marcha nupcial” /Selma Lagerlöf.

Fonte da imagem: catálogo da Biblioteca Municipal de Beja

Mais informação : Contos dos Irmãos Grimm (tradução de Maria Cristina de Araújo), Wilhelm Hauff (tradução de Teresa Balté), George Sand (tradução de Virgínia de Castro e Almeida, revista por Ângela Lieblich), John Ruskin (tradução de Luísa Derouet), Mark Twain e Oscar Wilde (traduções de Margarida Losa), Leão Tolstoi, Hans Christian Andersen, Pawel Bashow e Selma Lagerlöf (traduções de Ilse Losa).  (fonte)

Notas: exemplar de 1974 com acesso reservado na BMde S.Lázaro (Porto)

Ficha na wook

Ana-anA

Ana-ana ou uma coisa nunca vista / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. Porto : Asa, 1986.  (Asa Juvenil / coord. Ilse Losa ; 30)

1986_ilselosa_anaana

————————–

Ver aqui registo bibliográfico, desta e de outras ediçõe/reimpressões e  a recensão crítica de Natércia Rocha (pdf)

“[Recensão crítica a Ana-Ana ”, de Ilse Losa]” / Natércia Rocha. In: Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, n.º 98, Jul. 1987, p. 124-125.

Silka

1984_IlseLosa_1silka_manuelabacelar

1ª edição

Silka / Ilse Losa ; il. Manuela Bacelar. – [S.l.] : Horizonte, cop. 1984. – 38, [2] p. : il., col. ; 24 cm. – (Pássaro livre)

«Esse primeiro livro tem ilustrações muito belas, de uma extrema sensibilidade cromática, algumas, com um tímido desenho e um traço de pincel leve e de uma frescura invejável, sem cenários, só personagens; outras, passando já para a fase dos ambientes, mostram-nos só apontamentos de
figuras, onde a aguada envolve as personagens e o ambiente é o próprio cenário» Eduarda Coquet in Eu gosto desta, porque tem uma menina com neve na cabeça *

  • Ver descrição bibliográfica e outras edições aqui
  • 2ª edição em 1989
* Publicado em SOLTA PALAVRA, boletim nº 6, Dezembro de 2004, da CRILIJ – centro de recursos e investigação sobre literatura para a infância e juventude – em Junho de 2005